Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Flashback

 

Para encerrar o capítulo da minha vida relativo ao ano transacto, resolvi fazer uma retrospectiva, relatar alguns aspectos e acontecimentos importantes.

Achei que ao fazer este “flashback” talvez pudesse reviver os bons momentos e relegar os maus para um segundo plano.

 

Comecei o ano com mais um curso de valorização profissional, uma especialização em Inglês do 1º ciclo. Foi muito giro mas depois de espremido, conclui que os meus dois anos de estágio sofrido já me tinham ensinado tudo aquilo. Ficou a experiência e os conhecimentos.

 

A minha tia preferida foi internada num lar. Já não podia estar sozinha devido aos constantes mini-AVCs. Tive muita pena…

 

Perdi o meu emprego com a CMA. O Instituto com que eu trabalhava não assinou o protocolo com a câmara para assumir as aulas de Inglês no concelho. Pretexto: que o valor que os professores iriam receber por hora era irrisório. Como devem imaginar o meu mundo acabou aqui pois nem em sonhos isto me passava pela cabeça.

 

A minha persistência no envio de CVs e luta constante na procura de trabalho, rapidamente me arranjou alternativas. A primeira foi a do colégio onde estou a leccionar. Não sei se foi a melhor opção mas foi a que me pareceu dar mais possibilidades de continuidade. Por isso aceitei, apesar do meu ordenado ser minúsculo. E não estou a exagerar!

A segunda opção foi a do instituto que assinou o protocolo com a CMA e com o qual em tempos eu trabalhei. Na altura não gostei muito mas não foi nada que não tivesse ultrapassado. Ponderei as coisas. O horário que iria ter era mais pequeno e na mesma escola onde estive o ano passado. E afinal o valor a pagar aos profes não era tão drasticamente baixo! Era cerca de 2.50€ a menos. Ao fim do mês é dinheiro… mas nada do que inicialmente pensámos. Optei pelo colégio pela razão mencionada.

 

Fiz a minha primeira cirurgia. Após uma batelada de exames esquisitos, lá fui eu internada. A minha fistulectomia correu bem mas, na altura, também se descobriu uma fissura. A minha vida é feita destas pequenas surpresas desagradáveis!

A recuperação foi lenta e chata mas acho que as coisas ficaram mais ou menos bem.

 

Em sequência desta primeira cirurgia, veio aquela proposta para um bypass gástrico, lembram-se? Não aceitei sequer a ideia. Ainda hoje não a aceito. Sofri imenso mas nunca perdi a esperança de encontrar uma solução alternativa. E encontrei!

 

A recusa do bypass levou-me a cortar com todos os excessos e a fazer uma dieta ligeira. Consegui perder 7 kg em cerca de um mês e meio. Foi nesta altura que fui à primeira consulta da dietista. Foi um novo alento para a minha vida, foi um renovar de esperanças. Foi a correspondência perfeita com aquilo que eu pretendia.

 

Em resumo, muito resumido mesmo, foram estes alguns dos acontecimentos mais marcantes na minha vida em 2007.

Tenho esperança que as coisas melhorem mais um bocadinho em 2008, apesar do panorama negro pintado pelos nossos governantes…